sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Episodio literalmente arritmico.

Pensei em nomear uma personalidade do ano de 2007. Pensei logo de seguida nomear a pior personalidade (chamar personalidade às pessoas que me "chegam" ao meu pequeno cerebro é por si só prova do meu enorme sentido humanista)...
Para pior personalidade do ano de 2007 não consigo eleger ninguém porque só sei contar até 1012. Por isso não há PIOR PERSONALIDADE para ninguém!

A personalidade do ano de 2007 estava decidida na minha cabeça há vários dias. Era, e já explico porque já não é, o meu mecânico Orlando. É competente, honesto, excelente profissional e ainda por cima tem prazer no que faz. A prova disso é que não fala muito em dinheiro. Poucos portugueses se podem orgulhar de tal posicionamento.

O que me fez mudar de ideias?
Ontem dia 26 de Dezembro, fui parar às urgências do Hospital de Sta Maria com uma tremenda crise de arritmias cardíacas. A pior que já alguma vez tive. Já está tudo aparentemente bem e este não é o assunto principal.
Sentei-me na sala de espera e ao meu lado estava um senhor de uns 60 anos, em que a minha dúvida era se estava bêbado ou era aquilo que vulgarmente chamamos de "maluco".
O senhor começou a falar comigo e bastante, e eu expliquei-lhe que não conseguia falar devido às arritmias. Ele de pronto disse "não precisa de falar, só de ouvir o que eu tenho para dizer".
Perante este argumento de peso nada havia a opor.
Ele falava bastante, mas sinceramente eu não ouvia nada porque o meu coração teimava em não bater de forma compassada. Um coração arrítmico de um baterista não deixa de ter a sua piada.
Sempre achei que todas as tragédias têm um lado comico, inclusivé as minhas...
Com o tempo de espera que se advinhava longo, a minha crise foi piorando bastante ao ponto do dito "maluco" começar a rezar em voz alta e pedir a Deus que eu não morresse. Foi a minha vez de rezar e agradecer a Deus o facto daquele senhor não ser médico e sendo asim os seus medos não terem provavelmente fundamento.
O senhor, porque é de um senhor que se trata, achou que eu estava mesmo mal, e estava concerteza, e foi chagar o juízo a uma enfermeira para eu ser atendido rapidamente. E não é que deu certo?? Em pouco minutos fui atendido na sala de espera mesmo e informaram-me que dentro de poucos minutos entraria para a sala de rastreio.
Nesses poucos minutos de espera, o senhor contou-me que passou a maioria do tempo na cadeia, e que agora não queria mais "fazer asneiras" para não voltar para lá. Confessou-me também que tinha saído da prisão um dia antes e que estava ali, não porque estivesse doente mas sim porque não tinha para onde ir e na rua estava muito frio. De facto a sala de espera das urgências é quentinha, pena é o cheiro mas não se pode ter tudo.
Agradeci do fundo do coração (estão a ver como esta frase é comica perante o meu problema?), toda a preocupação dele e atenção para com o meu estado "urgente". Ele respondeu-me com uma frase que o transformou de imediato na "personagem do ano 2007" para mim... "Amigo. Muitas pessoas me têm ajudado ao longo da minha vida, e eu simplesmente faço a mesma coisa. Se alguém perto de mim, precisa da minha ajuda, eu ajudo sempre. Quer goste ou não da pessoa."

O senhor que pelo ausência de hálito a condizer, comprovei que não estava alcoolizado e que de "maluco" também ele me provou que não tinha nada, foi das pessoas que alguma vez encontrei naquela sala, nas minhas frequentes visitas aquela unidade hospitalar, que justificava uma ajuda urgente. Mas ele não estava ali para reclamar ajuda, estava somente a fugir do frio...

Para mim a PERSONALIDADE DO ANO DE 2008, é um senhor que o nome desconheço, mas que o vou visitar na sua "nova casa" quentinha, a fim de lhe agradecer e oferecer a minha ajuda para algo que eu lhe possa ser útil. Não porque me ajudou mas sim pela bondade "em toneladas" que demonstrou.
Poucos se podem orgulhar de tal qualidade. Muitas vezes esses que "fogem" de tudo que estranham, com a desconfiança como a luz que os "ilumina", são os chamados "normais.
Obrigado "senhor sem nome". Como eu gostava de um dia conseguir ser tão "anormal" assim!
Desculpa Orlando, mas mesmo assim ficaste em 2ª lugar...

Feliz Ano Novo a todos!!

ps: A minha crise arritmica, estabilizou ao fim de umas 4 horas no hospital... É uma boa média.

3 comentários:

Anónimo disse...

Miguel... =( tens de te cuidar porra!!
Já to disse e volto a repetir,queremos-te cá durante muitos anos! Vê lá se acalmas o coração!! :)

Beijos de melhoras para ti!
The Queen

Ps-Esse senhor plos vistos aprendeu que não compensa fazer asneiras,evoluiu!! :) Ainda bem!
CALMA COM ESSE RITMO ALUCINANTE A QUE ANDAS!!!

Anónimo disse...

Olá Miguel! Espero que estejas mesmo bem...as tuas crises arritmicas são, pelos vistos, tramadas. Gostei mto do teu texto, são estas as histórias reais que por vezes nos passam ao lado. Um bom ano, se possível sem essas maleitas, e continua a ser generoso, porque só assim recebes de volta. Um beijinho, Cláudia.

Inês Xein disse...

Epá, espero que 2008 te acalme o coração :)

Quanto à tua história... Prefiro poupar nas palavras... Há quem diga tudo com quase nada!

Sente-te!!!